Páginas

quinta-feira, 9 de abril de 2015

Comorbidade em usuários de álcool e de outras drogas.


Comorbidade significa a existência de duas ou mais doenças ocorrendo num indivíduo, ao mesmo tempo, e que interferem uma na outra. Isso pode acontecer só em um determinado prazo de tempo, mas pode também durar a vida inteira. O termo comorbidade é constituído pelo prefixo latino "cum", que significa contiguidade, correlação, companhia, e pela palavra morbidade, originada de "morbus", que designa estado patológico ou doença. Assim, deve ser utilizado apenas para descrever a coexistência de transtornos ou doenças, e não de sintomas.


Em geral as doenças mentais são crônicas por isso busca-se a estabilidade dos sinais e sintomas. O objetivo maior é que no tratamento oferecido sejam elaboradas estratégias que visem melhorar a qualidade de vida da pessoa com sofrimento psíquico, considerando-a biopsicossocialmente.

As comorbidades entre substâncias como o álcool, tabaco e outras drogas podem ocorrer com diversos transtornos psiquiátricos (transtornos de humor, transtornos de ansiedade, transtornos alimentares, transtornos psicóticos como a esquizofrenia e transtornos de personalidade) e também com outras doenças (físicas).

Resumo de alguns quadros:

— Transtorno Afetivo Bipolar (TAB): A principal função mental alterada é o humor. O humor oscila, e quando essas oscilações são intensas para o polo maniforme a pessoa pode sentir extremo bem-estar, aumento de energia, alteração do sono, aceleração psicomotora — esse quadro é denominado de mania ou euforia. Já o outro polo do humor é a depressão, onde os principais sinais e sintomas são humor triste, apatia, diminuição da vontade de fazer coisas que antes gostava, entre outros.

— O Transtorno Depressivo: apresenta os sinais e sintomas citados acima, cabe ressaltar que estes são avaliados em sua intensidade, dividindo-se em episódio leve, moderado e grave.

— Esquizofrenia: É uma doença marcada pela desagregação do pensamento e leva a um comprometimento do funcionamento global da pessoa. Os principais sinais e sintomas da esquizofrenia são: alucinações visuais e auditivas; delírios de conteúdo místico religioso, de grandeza ou de perseguição; retraimento social e embotamento afetivo (dificuldade de expressar o que sentem).

Para exemplificar:

— Uma pessoa que é dependente de álcool pode ter também um diagnóstico de depressão.

— Uma pessoa que é dependente de cocaína pode ter também um diagnóstico de transtorno bipolar.

Não se sabe ao certo se o abuso e dependência de álcool e de outras drogas desencadeia um transtorno mental, por isso foram levantadas as seguintes hipóteses, por exemplo, no caso da depressão:

Hipóteses:

As depressões são fatores de risco para o uso problemático de substâncias; O uso de substâncias pode levar a alterações graves do funcionamento mental, causando transtornos de humor. Uso de álcool e de outras drogas como desencadeador (gatilho) de transtornos psiquiátricos (pré-disposição/vulnerabilidade do cérebro).

Fatores de risco comuns, como por exemplo o abuso sexual ou a violência durante a infância, podem influenciar na ocorrência de ambos os fenômenos: transtornos mentais e dependência de drogas. 

É importante considerar que existem casos que após o uso prolongado e pesado de substâncias, a pessoa passa a apresentar sintomas depressivos, mesmo depois de um tratamento. Também é relevante considerar, que muitas vezes o uso de álcool e de outras drogas pode fazer com que a pessoa se sinta mais aliviada, minimizando assim, os sintomas dos transtornos. Assim, a presença de problemas psiquiátricos pode causar ou agravar o comportamento de consumo de álcool e de outras drogas.

Pensando em como lidar com a situação de comorbidades?
As intervenções integradas se mostram as melhores opções para tratar as comorbidades, ou seja, irão cuidar do problema de abuso de substâncias e da doença mental. Sendo essencial uma assistência integrada, ou seja, com diversos profissionais e terapias, e que um diagnóstico correto ocorra, assim como um tratamento adequado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sejam todos bem-vindos com suas colaborações de qualquer natureza, excetuando tudo que infrinja as regras do bem proceder. Lembramos sempre que nenhum dos seus membros fala "em nome de" A.A., mas, no máximo, "de" A.A. As opiniões dos alcoólicos recuperados baseiam-se sempre na propriedade de suas experiências pessoais.